top of page
Buscar
  • brunobandeiravarga

Flor de cannabis in natura pode começar a ser distribuída pela Abrace

Por: Bruno Bandeira Vargas


A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace) dá mais um passo importante e solicita, à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a autorização do fornecimento da flor de cannabis para seus associados. O pedido foi realizado no mês de agosto e deve ter resposta dentro de 15 dias.


A Abrace, maior associação cannábica do Brasil, contando com mais de 30 mil associados, deu seu primeiro grande passo em 2017, quando conquistou o direito de plantar e distribuir o óleo à base de cannabis. Agora, atendendo a pedidos de seus médicos, a associação pretende “garantir o tratamento completo a todos em qualquer que seja a sua necessidade, conforme demanda por vários prescritores para casos mais complexos de doenças identificadas nas consultas.” trecho retirado de matéria postada no site da Abrace.



(UrosPoteko/Thinkstock)


Distribuir a flor é de grande importância para o paciente, pois permite que ele tome algumas decisões durante seu tratamento. Além do já conhecido e muito utilizado, óleo à base de cannabis, existem outras diversas possibilidades de utilização da flor, para fins medicinais.


As mais indicadas são: Vaporização, que fornece alta velocidade e quantidade de absorção dos princípios ativos da planta, além de ser a melhor opção para redução de danos. Comprimidos e cápsulas, produtos que possibilitam uma dosagem precisa e uma alta duração de seus efeitos, podendo chegar a duas horas. Além dessas, existem outras possibilidades, como Spray, cremes, pomadas.


Caso a solicitação seja aceita pela Anvisa, o fornecimento da flor deve democratizar uma prática já existente, mas que é privilégio de poucos. “Inicialmente é preciso dizer que o uso das flores já é uma realidade no Brasil, vários pacientes têm acesso via importação autorizada pela Anvisa, mas essa realidade está restrita para alguns pacientes, àqueles que possuem condições financeiras para essa onerosa modalidade de compra.”, explica o diretor executivo da Abrace, Cassiano Gomes.


Comments


bottom of page